04/09/2020

Substância do veneno de abelhas destrói câncer de mama mais agressivo

Redação do Diário da Saúde
Substância do veneno de abelhas destrói câncer de mama mais agressivo
A equipe testou o veneno e a substância melitina sintética.
[Imagem: Ciara Duffy et al. - 10.1038/s41698-020-00129-0]

Veneno de abelha contra câncer

Usando o veneno de abelhas e mamangavas de diferentes regiões - Austrália, Irlanda e Inglaterra - a equipe da Dra. Ciara Duffy, da Universidade Oeste da Austrália, obteve resultados impressionantes no tratamento do câncer.

A equipe testou o efeito do veneno nos diversos subtipos clínicos do câncer de mama, incluindo o câncer de mama triplo-negativo, que tem opções de tratamento muito limitadas.

Os resultados revelaram que o veneno destrói rapidamente o câncer de mama triplo-negativo e as células de câncer de mama enriquecidas com HER2, um oncogene localizado no cromossomo 17, que se expressa em 25% a 30% dos casos de câncer de mama.

O objetivo da pesquisa era investigar as propriedades anticâncer de um composto específico do veneno de abelha, a melitina, em diferentes tipos de células do câncer de mama.

"Testamos um peptídeo muito pequeno, com carga positiva no veneno das abelhas, chamado melitina, que podemos reproduzir sinteticamente, e descobrimos que o produto sintético repete a maioria dos efeitos anticâncer do veneno das abelhas," disse Duffy. "Nós descobrimos que, tanto o veneno da abelha quanto a melitina [sintética] reduziram de forma significativa, seletiva e rápida a viabilidade do câncer de mama triplo-negativo e das células de câncer de mama enriquecidas com HER2."

Uma concentração específica do veneno de abelha conseguiu induzir 100% de morte nas células cancerosas, com efeitos mínimos nas células normais.

"Descobrimos que a melitina pode destruir completamente as membranas das células cancerosas em 60 minutos," disse Duffy.

Substância do veneno de abelhas destrói câncer de mama mais agressivo
O veneno de abelha destruiu até 100% das células tumorais em alguns casos.
[Imagem: Ciara Duffy et al. - 10.1038/s41698-020-00129-0]

Melitina

A melitina no veneno das abelhas também teve outro efeito notável: em 20 minutos, a substância foi capaz de reduzir as mensagens químicas das células cancerosas, que são essenciais para o crescimento e divisão celular das células do tumor.

"A melitina modulou a sinalização nas células do câncer de mama, suprimindo a ativação do receptor que é comumente superexpresso no câncer de mama triplo-negativo, o receptor do fator de crescimento epidérmico, e suprimiu a ativação do HER2, que é superexpresso no câncer de mama enriquecido com HER2," disse a médica.

Agora, novos estudos serão necessários para avaliar o método ideal de aplicação da melitina, bem como os níveis de toxicidade e as doses máximas toleradas, uma vez que, ainda que pequenos, houve efeitos nas células saudáveis.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Honeybee venom and melittin suppress growth factor receptor activation in HER2-enriched and triple-negative breast cancer
Autores: Ciara Duffy, Anabel Sorolla, Edina Wang, Emily Golden, Eleanor Woodward, Kathleen Davern, Diwei Ho, Elizabeth Johnstone, Kevin Pfleger, Andrew Redfern, K. Swaminathan Iyer, Boris Baer, Pilar Blancafort
Publicação: npj Precision Oncology
Vol.: 4, Article number: 24
DOI: 10.1038/s41698-020-00129-0
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos Naturais

Câncer

Plantas Medicinais

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.