06/02/2019

Pesquisa comprova eficácia de medicamento para chikungunya

Redação do Diário da Saúde

Sofosbuvir

Pesquisadores da Fiocruz comprovaram a eficácia do medicamento sofosbuvir contra a chikungunya.

Coordenado pelo pesquisador do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz Bahia) Thiago Moreno, o estudo foi publicado na última semana no periódico American Society for Microbiology.

No final do ano passado, pesquisadores da USP anunciaram que o remédio contra a hepatite C elimina os vírus da chikungunya e da febre amarela.

Infelizmente, o sofosbuvir é caríssimo - milhares de dólares por tratamento - e está no centro de uma polêmica internacional.

Surpreendentemente, em setembro o INPI barrou o genérico e patenteou o sofosbuvir no Brasil, o que gerou protestos inclusive da entidade internacional Médicos sem Fronteiras.

Ribavirina

Foram feitos testes com sofosbuvir em camundongos infectados com o vírus chikungunya, com o objetivo de averiguar se o tratamento seria eficaz em seres vivos. De acordo com o pesquisador, o estudo é o primeiro a comprovar, em células vivas, que o sofosbuvir inibe a replicação do vírus.

Segundo a pesquisa, o medicamento obteve resultados três vezes melhores em inibir a reprodução do vírus chikungunya do que a ribavirina - usada para aliviar as dores na articulação causadas pela doença. Na avaliação de Thiago Moreno, o principal resultado foi a prevenção do aumento das células inflamadas.

Como não há vacina ou tratamento específico para a chikungunya, afirma o pesquisador, os pacientes com a doença acabam recebendo tratamento paliativo para aliviar as dores nas articulações.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Saúde Pública

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.