13/09/2019

Parkinson não é doença do cérebro, é doença do corpo inteiro, dizem cientistas

Redação do Diário da Saúde
Parkinson não é doença do cérebro, é doença do corpo inteiro, dizem cientistas
Técnicas de imageamento de ponta permitiram ver as proteínas movimentando-se pelo cérebro.
[Imagem: Universidade de Osaka]

Parkinson é um tipo de amiloidose

Pesquisadores japoneses descobriram como rastrear a estrutura dos agregados de proteínas associados à doença de Parkinson conforme eles se movimentam pelo cérebro.

Isto permitiu que eles indicassem, pela primeira vez, que a doença de Parkinson é um tipo de amiloidose, uma condição mais geral marcada pelo acúmulo anormal de formas mutantes de proteínas em diversos órgãos e tecidos.

A descoberta tem grandes implicações no diagnóstico e tratamento da doença, uma vez que os cientistas ainda discutem uma caracterização precisa da condição, com várias teorias sobre a doença de Parkinson sendo seguidamente apresentadas e descartadas.

Proteínas em movimento no cérebro

A marca neuropatológica da doença de Parkinson são os chamados corpos de Lewy, compostos principalmente de proteínas alfa-sinucleína (α-syn). No entanto, a ciência ainda não entende completamente como ou por que eles aparecem no cérebro.

Usando técnicas de imagem de ponta, os pesquisadores da Universidade de Osaka descobriram que os corpos de Lewy nos cérebros de pacientes com doença de Parkinson contêm agregados de proteína α-syn - também chamados fibrilas amiloides - que podem se propagar pelo cérebro.

Isso dá suporte à nova ideia de que a doença de Parkinson é um tipo de amiloidose, que é um grupo de doenças raras causadas pelo acúmulo anormal de proteínas.

"Nosso trabalho segue as descobertas in vitro de que agregados de α-syn que podem se propagar através do cérebro têm uma estrutura cruzada," explicou o Dr. Hideki Mochizuki. "Nosso estudo é o primeiro a descobrir que agregados nos cérebros da doença de Parkinson também possuem essa estrutura cruzada. Isso pode significar que a doença de Parkinson é um tipo de amiloidose que apresenta o acúmulo de fibrilas amiloides de α-syn".

Doença de corpo inteiro

Os pesquisadores sugerem que a doença de Parkinson seja uma amiloidose sistêmica (de corpo inteiro), e não localizada em uma parte do cérebro.

Isso se ajusta aos sintomas não motores que os pacientes experimentam antes do início da disfunção motora, ao envolvimento de múltiplos órgãos da patologia e a resultados recentes envolvendo a doença e outros órgãos, como a conexão entre Parkinson e a flora intestinal.

A equipe diz-se entusiasmada que sua descoberta terá uso amplo e imediato no desenvolvimento de novas ferramentas diagnósticas e terapêuticas para o tratamento da doença de Parkinson.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Parkinson's disease is a type of amyloidosis featuring accumulation of amyloid fibrils of ?-synuclein
Autores: Katsuya Araki, Naoto Yagi, Koki Aoyama, Chi-Jing Choong, Hideki Hayakawa, Harutoshi Fujimura, Yoshitaka Nagai, Yuji Goto, Hideki Mochizuki
Publicação: Proceedings of the National Academy of Sciences
Vol.: 116 (36) 17963-17969
DOI: 10.1073/pnas.1906124116

Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Cérebro

Mente

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.