28/02/2020

OMS reluta em decretar pandemia de covid-19

Redação do Diário da Saúde

Medo das palavras

Já atingindo todos os continentes, a febre covid-19 parece já ter completado os três critérios que definem uma pandemia, mas a OMS (Organização Mundial de Saúde) segue relutante em fazer o anúncio, mantendo a situação na categoria de "Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional".

Os três critérios para definir uma pandemia de uma doença são o alcance mundial, a transmissão entre pessoas e o fato de a doença poder ser fatal.

A OMS continua relutante em declarar a condição de pandemia depois das críticas que recebeu quando decretou a pandemia de gripe H1N1 em 2009.

Naquele ano, a OMS declarou uma pandemia quando haviam sido contabilizados 27.737 casos de gripe H1N1 - a covid-19 já superou os 82.000 casos.

As críticas vieram depois que a doença não se mostrou tão grave quanto se previa e muitos países fizeram gastos excessivos, como no caso dos estoques de Tamiflu.

Especialistas apontam que, no caso da covid-19, ainda é importante manter as medidas de contenção e quarentenas, como vem sendo feito na China e, mais recentemente, na Itália e na Coreia do Sul. A maioria dos planos nacionais de enfrentamento das pandemias aborda uma etapa posterior, chamada mitigação, adotada quando a doença já se espalha dentro das comunidades e as quarentenas não são mais eficazes.

"Usar a palavra pandemia agora não se ajusta aos fatos, mas isso poderia certamente causar medo," disse Tedros Ghebreyesus, diretor da OMS.

Covid-19 nas Américas

O Brasil e mais oito países informaram casos confirmados de covid-19 nas últimas 24 horas. As demais nações que tiveram casos de coronavírus foram Dinamarca, Estônia, Geórgia, Grécia, Noruega, Paquistão, Romênia e Macedônia do Norte.

Um total de 23 casos confirmados da doença causada pelo novo coronavírus na região das Américas. Até 18 de fevereiro, todos os casos haviam sido notificados nos Estados Unidos (15) e no Canadá (8). O primeiro caso de covid-19 importado para a região foi identificado no dia 21 de janeiro nos Estados Unidos, no estado de Washington. Alguns dias depois, em 25 de janeiro, o Canadá confirmou seu primeiro caso, em Toronto.

Em todo mundo, foram confirmados 82.294 casos da doença, sendo 1.185 nas últimas 24 horas. Deste total, 78.630 estão na China, dos quais 439 são novos, e 3.664 confirmações da doença em outros países, sendo 746 recentes.

O boletim da OMS também informa que, até agora, o covid-19 causou a morte de 2.747 pessoas na China (29 nas últimas 24 horas) e de 57 pessoas em outros países (13 recentes). Fora da China, os países com o maior número de mortes por coronavírus são Coreia do Sul, com 13 (1.766 casos confirmados), Itália, com 12 (400 casos confirmados) e Irã, com 22 (141 casos confirmados).

Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Epidemias

Vírus

Saúde Pública

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.